Assembleia Regional dos Leigos destaca documento 105 da CNBB

laicato2_rezumido

Durante a Assembleia Geral do Conselho Nacional do Laicato do Brasil do Regional Sul 1 da CNBB, em Araras/SP nos dias 10, 11 e 12 de março, ficou mais do que claro o dever de se seguir à risca o mais rápido possível o conteúdo do documento 105 da CNBB, “Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade”. Foi mostrada uma necessidade urgente de os leigos se organizarem melhor no que diz respeito aos movimentos, lutas sociais e eclesiais.

Segundo Seidel, o leigo vê mas não enxerga saídas para uma sociedade mais justa. Ainda aproveitando a analise de conjuntura feita anteriormente por Marco Catanhede (CNLB Campinas), os meios de comunicação atingem as massas e impõe um medo desnecessário sobre os fatos políticos. Com isso faz-se colocar uma venda nos olhos de todos como se não houvesse saída para nada além do que viver sob os moldes do que lhe é imposto.

Analise de Conjuntura alerta para a Ideologia do medo

De acordo com o que é imposto pelos meios de comunicação os leigos e leigas acabam criando um medo desnecessário ao seu redor e ao redor de todo mundo. A camada ideologia do medo, que nos foi imposta, alerta Catanhede, é preciso ser quebrada. Lembra que o cenário politico atual tanto no Brasil quanto no mundo, a situação é: “ou se aceita, ou não se aceita”. Segundo ele não há um meio termo e não tem havido nenhuma conversa com a sociedade nem com os movimentos à respeito dos projetos ganhos nas urnas em 2014. Foi-se imposto uma tarja sobre todo um passado que na verdade muitos deles deveriam ao menos ter sido levados à diante. “A falta de dialogo nos governos conservadores é uma marca registrada. Basta vermos na história como isso foi feito. Impõe-se um modelo politico e não se conversa com a sociedade sobre isso”.

O ano dos leigos pautou os trabalhos de grupo
Daniel Seidel que assessorou o encontro e fez uma análise em cima do Documento 105, criou grupos de trabalhos para que se pudesse serem discutidos meios de fortalecimento do CNLB assim como subsídios especiais para que o laicato tenham ferramentas de lutas na sociedade e na igreja, onde é o espaço dele por direito.
Lembra ainda que o Ano do leigos, que começa agora em novembro deve-se principalmente à todos os leigos que estão em missão, que fazem o papel principalmente na sociedade, em lugares de difícil acesso, (relembrou membros que estão na Amazônia), e todos àqueles que não lutam só eclesialmente mas muito mais do que isso, na sociedade!

Por Comissão de Comunicação. Fotos: Carlos (CNLB SANTANA)

 

 

Categoria: Notícias