Destaques Do Regional

Comissão Representativa realiza reunião ampliada

O bispo de Mogi das Cruzes e Presidente do Regional Sul 1 da CNBB, Dom Pedro Luiz Stringhini, fala sobre a importância da Reunião Representativa Ampliada das Pastorais, como momento de unidade e comunhão, garantindo assim a continuidade dos trabalhos. Ouça trechos da entrevista

O Regional Sul 1 da CNBB realizou na manhã desta sexta-feira, 9 de novembro, a Reunião da Comissão Episcopal Representativa Ampliada.

Estavam presentes, os bispos, das oitos sub-regiões que compõem o Regional Sul 1 da CNBB (São Paulo), padres subsecretários, representantes dos Organismos e Pastorais articulados pelo Regional Sul 1 da CNBB.

A reunião foi presidida por Dom Pedro Luiz Stringhini, Bispo de Mogi das Cruzes e Presidente do Regional Sul 1 da CNBB, sendo conduzida por Dom Edmilson Amador Caetano, Bispo Guarulhos e vice-presidente do Regional Sul 1 e por Julio Enki Akamine, Arcebispo de Sorocaba e Secretário do Regional Regional Sul 1.

Diversos assuntos foram abordados, entre eles: os Compromissos assumidos pela 40 Assembleia das Igrejas, os trabalhos de evangelização de cada pastoral, e outros assuntos administrativos do Regional.

Alguns bispos fizeram as suas considerações e ao final alguns agentes partilharam da sua caminhada pastoral.

Dom Pedro Luiz Stringhini agradeceu aos bispos e representantes de pastorais pela participação, assim como a imprensa de inspiração católica pela presença.

Pe. Berardo Graz. coordenador da Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB faz um trabalho em prol da defesa da Vida

O bispo destacou que a reunião foi um momento muito importante, por avaliarem a 40ª Assembleia das Igrejas Particulares, retomando aqueles quatro compromissos assumidos, Juventude, as novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, cujo documento será elaborado e aprovado pela assembleia geral dos bispos, em abril de 2019, A Defesa da Vida e as questões sociais que afligem nosso povo a partir na Doutrina Social da Igreja.

Na abertura da reunião, foi exibido um vídeo, de 22 min, sobre Assembleia das Igrejas produzido pela Rede Vida e que foi ao ar pela emissora no dia 28 de outubro.

Ainda na abertura, Dom Julio Endi Akamine, secretário-geral, leu o trecho da carta de Dom Mário Antonio  da Silva, bispo da diocese de Roraima, RR, presidente do Regional Norte 1 , que agradeceu pelo gesto de solidariedade de nosso Regional, o apoio dado àquele regional para a realização da Assembleia.

Durante a reunião também foi anunciado o nome do casal César e Rosane Campos para a Missão na África, no próximo ano. O casal mora no litoral de São Paulo e aceitou o desafio de participar da Projeto missionário mantido pelo Regional Sul 1 na diocese de Pemba em Moçambique, África.  Eles integram o Conselho Missionário Regional (Comire).

Entre as atividades da Pastoral Afro para o próximo ano destaca-se a missão Afro, iniciativa que propõe visitar as arquidiocese e dioceses do estado de São Paulo com o intuito de conscientizar e preservar a cultura afro-brasileira

A agente da Pastoral Afro, Vera Lúcia que participou pela primeira vez, avalia positivamente a participação da pastoral nesta reunião. “Agradeço pela Comissão 8. pelo convite e fiquei bastante satisfeita, pela oportunidade de escutar como as outras pastorais estão caminhando, e saber da preocupação , dos bispos com a nossa juventude”. Elogiou também de como foram feitas as intervenções. “A minha avaliação é a melhor possível”, concluiu.  Por fim falou sobre o Projeto Missão Afro, iniciativa que propõe visitar as arquidiocese e dioceses do estado de São Paulo.

Ainda durante a reunião, realidade social, pastoral e política também tiveram em pauta. Os agentes manifestaram preocupação com as mudanças que consideram negativas aos direitos sociais.

O padre Carlos Roberto dos Santos, da diocese de Marília e subsecretário da sub-região Pastoral Botucatu compartilha da mesma avaliação, da maioria.

“Neste cenário politico e social estou preocupado com mudanças que estão por vir, particularmente as drásticas para a população mais pobres, principalmente aqueles que estão nas periferias existenciais da vida, a situação da Amazônia e suas comunidades indígenas e tradicionais. A igreja tem que está inserida neste meio”, avaliou o padre. Falou ainda que no próximo ano a sub-região Botucatu vai trabalhar a questão da Juventude: Políticas públicas: trocas de experiências entre as dioceses; Sínodo, Vocação e discernimento, Projeto de vida; Iniciação à Vida Cristã (IVC).

 

A Reunião ampliada é o encontro anual e reuniu representantes de diversas Pastorais e Organismos que compõe o Regional Sul 1 da CNBB

 

Palavra do Presidente

Facebook

Assine nossa newsletter