Arquidioceses e Dioceses Destaques Notícias

Diocese de Santos divulga orientações para as eleições 2018

O bispo de Santos, dom Tarcísio Scaramussa divulgou uma carta com orientações sobre as eleições deste ano.

Em todas as eleições, a Igreja “orienta os fiéis a votarem de modo consciente e responsável e a apoiarem candidatos afinados com as convicções dos eleitores e que se comprometam a não promover causas contrárias aos princípios cristãos. No entanto, não se indiquem nomes, pois a escolha deve ser do eleitor”, salientou o bispo.

A carta, na íntegra, pode ser conferida no site da diocese ou pode-se ler abaixo.

Diocese de Santos: Orientações para as Eleições – 2018

Confira a mensagem na íntegra:

Santos, 30 de agosto de 2018

Estimados padres e diáconos da Diocese de Santos,

Estamos em tempo de campanha eleitoral para as próximas eleições estaduais e federais. O momento é importante e delicado, e precisamos ser um ponto de equilíbrio para ajudar nosso povo a preparar-se para votar bem, e ajudarmos na criação de um ambiente de serenidade e de paz.

É missão da Igreja ajudar na conscientização de todos para a participação adequada neste processo. A pastoral da cidadania já distribuiu uma cartilha que pode contribuir neste sentido. Ao mesmo tempo, recordo algumas orientações sobre o envolvimento do clero e dos espaços e organizações eclesiais na campanha eleitoral.

  1. A Igreja Católica Apostólica Romana não tem uma opção oficial por partidos ou candidatos. Por isso, os representantes da Igreja (clero) não devem posicionar-se explicitamente na campanha partidária (cf Cân. 287 §2; 572).
  2. Não deve ser feita campanha para partidos ou candidatos nas Missas e outras celebrações da comunidade, pois o envolvimento político-partidário direto do Padre, ou o uso instrumental da celebração litúrgica divide a comunidade.
  3. Os espaços eclesiais não devem ser usados a serviço de um partido ou candidato. Nos espaços eclesiais (templos, salões paroquiais) também não sejam afixados apelos eleitorais de partido ou candidato. Ficam desautorizados pedidos de favores, ou vantagens, em troca de apoio eleitoral por parte do clero ou de comunidades da Igreja.
  4. Empenhemo-nos, no entanto, em orientar os fiéis a votarem de modo consciente e responsável e a apoiarem candidatos afinados com as convicções dos eleitores e que se comprometam a não promover causas contrárias aos princípios cristãos. No entanto, não se indiquem nomes, pois a escolha deve ser do eleitor.

O Senhor abençoe a todos.

Fraternalmente,

Dom Tarcísio Scaramussa, SDB
Bispo Diocesano de Santos

Palavra do Presidente

Facebook

Assine nossa newsletter