Dioceses Notícias

Bispo de Itapetininga instala a única Basílica do país dedicada a São Miguel Arcanjo

Foto: PASCOM da Basílica

Neste sábado, (1), o Bispo de Itapetininga Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto instala a Basílica de São Miguel Arcanjo, a única Basílica Menor do país dedicada ao Arcanjo. Em frente ao templo de portas fechadas, clamando a intercessão de todos os Santos, peregrinos, paroquianos, fieis, devotos, todo o Clero presente é convidado a sair em procissão pelas ruas de São Miguel Arcanjo antes de iniciar a instalação do título. Na procissão, destacavam-se a Virga Rubra, o Tintinabulo e a Umbela – símbolos basilicais – que acompanharam a assembleia à frente em todo percurso.

Ao chegar às portas do templo, o reitor do então Santuário, Pe. Márcio Almeida, entrega ao nosso bispo o Crucificado. Ele beija a imagem e asperge água benta sobre todo o povo de Deus. Feito isto, ainda de batina, abre as portas do templo e lá dentro descerra a placa da Instalação do Título e dirige-se ao sacrário, onde rapidamente faz uma oração pessoal. Terminado este momento, Dom Gorgônio e o reitor paramentam-se na Sacristia. Enquanto o povo é acolhido no templo, é cantado o Veni Creator Spiritus (“Vem, Espírito Santo”) e as velas das colunas são acesas.

Concluído o acendimento das velas, entram com a procissão de entrada, os concelebrantes Dom Júlio Endi Akamine, Arcebispo de Sorocaba e Dom Arnaldo Carvalheiro Neto, bispo de Itapeva, juntamente com Pe. Luís Armando (de Valência, na Espanha), o Pe. Márcio e demais sacerdotes, diáconos e seminaristas de nossa diocese, além de sacerdotes de outras dioceses. No altar, Pe. Márcio acolhe todos os presentes, explica o significado de cada símbolo basilical que entra pela nave central sob o canto do Hino Pontifício.

Após a saudação inicial e o ato penitencial, ao badalar dos sinos da Basílica, o Diácono Góes apresenta à assembleia e lê o Decreto de Concessão do Título de Basílica assinado pelo Cardeal Robert Sarah em 25 de maio deste ano. Encerrada a leitura, todo povo de Deus canta o Glória e a celebração segue para a Liturgia da Palavra.

Em sua homilia, Dom Gorgônio destaca a importância do título para a Diocese que completou 20 anos em julho passado. Além disso, “é uma alegria e expressão de nossa comunhão com o Santo Padre, o Papa Francisco”, observa. Para o bispo, ter a primeira Basílica no Brasil dedicada a São Miguel Arcanjo, protetor da Igreja e expressão da força de Deus que nos ajuda a vencer todo mal é sinal da “manifestação da força no amor e na misericórdia, concedidos em Cristo Jesus que, pela cruz e ressurreição, venceu o pecado e a morte e nos comunicou a Vida Plena”.

Ele ressalta que “a Igreja que recebe o título de Basílica Menor deve sobressair-se como centro de atuação litúrgica e pastoral, principalmente pela celebração da Santa Eucaristia, da Penitência e dos outros sacramentos, exemplo para as demais igrejas” e que estas orientações se estendem “às suas comunidades rurais e urbanas que tem também como missão pastoral promover a evangelização em todos os setores, acolhendo e integrando os fieis, favorecendo a vivência cristã”.

Que São Miguel Arcanjo lhes traga a força de Deus” para que a “Basílica de São Miguel Arcanjo seja uma Igreja que irradie a luz do Evangelho, testemunhado numa vida de comunhão e participação ardorosa e vibrante, afetuosa e comprometida na missão”, concluiu.

Logo após a comunhão, Dom Gorgônio e seus concelebrantes assinaram a Ata de Concessão do título de Basílica. O bispo diocesano deu a Benção Apostólica e concedeu a Indulgência Plenária aos fieis presentes, “verdadeiramente arrependidos, confessados e restaurados pela Sagrada Comunhão”.

 

Com informações Diocese de Itapetininga

Palavra do Presidente

Facebook

Assine nossa newsletter